Otite canina



A otite canina é uma inflamação que atinge o ouvido interno, externo ou médio do cão, causando dor e incômodo ao animal. Embora as causas sejam diversas, uma coisa é fato: ela provoca dor, incômodo, e pode se desenvolver para problemas ainda mais sérios.


Esta é uma das doenças mais comuns entre cachorros, sendo mais frequente entre aqueles que possuem orelhas peludas, caídas ou pendulares — características que favorecem o acúmulo de umidade no canal auditivo e, consequentemente, contribuem para a proliferação de fungos e bactérias na região.


Sendo assim, é fundamental saber reconhecer os primeiros sinais da doença, assim como conhecer seu tratamento e formas de prevenção.


Sintomas


A boa notícia em relação à otite canina é que, quando ela ocorre, os cães costumam demonstrar bastante incômodo na região; por isso, o sintoma mais comum é a coceira intensa na orelha.


Outros importantes sinais de otite canina são:


- Balançar a cabeça com frequência;

- Cheiro forte na região das orelhas;

- Sentir dor ao coçar as orelhas;

- Presença de secreção no conduto auditivo, excesso de cera;

- Ferimentos ao redor das orelhas, causados pela coceira constante

- Presença de secreções, cera em excesso e/ou pus no ouvido

- Mau cheiro, vermelhidão, escurecimento ou aparecimento de crostas no ouvido


Em casos mais avançados, essa complicação pode, ainda, comprometer o sistema neurológico, prejudicando a audição do cachorro de maneira permanente. Por esse motivo, fique sempre atento a esses sintomas e, ao suspeitar do problema, leve o seu cão para ser avaliado por um veterinário que, pelos exames, irá identificar qual o agente causador da otite e então indicar o tratamento adequado com o uso de anti-inflamatórios, antibióticos, antifúngicos e analgésicos associado a produtos específicos para a limpeza dos ouvidos.



Entenda as causas da otite canina


A otite canina, tanto interna quanto externa, pode ser desencadeada por diversos fatores.


A anatomia do ouvido canino é favorável ao acúmulo de microrganismos, uma vez que os canais auditivos possuem formato de “L” — o que dificulta a limpeza e proporciona um ambiente perfeito para a proliferação de fungos e bactérias. No caso dos animais com orelhas longas e pendulares, o abafamento do ouvido é ainda mais acentuado, favorecendo a ocorrência de otites.


Traumas, alergias, tumores, parasitas ou corpos estranhos no ouvido do animal também podem levar ao desenvolvimento do problema.


Além disso, cães com alergia de pele têm maior tendência a desenvolver a inflamação, já que o interior da orelha também é coberto por pele.


Outro fator que pode favorecer o desenvolvimento da otite canina é a higienização inadequada, tanto para mais quanto para menos. Enquanto a limpeza excessiva pode remover as defesas naturais do ouvido, a falta de higiene pode preservar a sujeira e os corpos estranhos.


Tratamento


O tratamento da otite é variável, cabendo ao veterinário apontar o medicamento mais adequado para o problema apresentado pelo cão. Em geral, são prescritos produtos tópicos para aplicação diretamente no local da inflamação, mas também podem ser utilizados antibióticos para cães de uso oral para combater o problema.


Ao perceber sintomas de otite canina, o veterinário vai examinar o conduto auditivo do cãozinho a fim de verificar a inflamação e observar se há algum objeto estranho, tal como um pedaço de algodão ou uma sujeira. Nesse caso, o tratamento pode ser fácil — consistindo na limpeza da região e administração de antibióticos, caso necessário.


Descartada essa possibilidade, ele pode tirar amostras de cera a fim de verificar se há presença de fungos, ácaros e bactérias. Em caso negativo, é comum que o veterinário peça outros exames para identificar a causa da otite. Isso é importante porque, como dito anteriormente, o tratamento vai depender da origem do problema.



Como prevenir a otite canina


A otite pode ser prevenida com a simples limpeza da orelha do seu cachorro, principalmente se elas forem caídas. Nesses casos, o recomendável é fazer a higienização uma vez por semana.


Agora, se o cão não tem orelhas caídas, a higienização não precisa (e nem deve) ser feita toda semana. Limpar excessivamente o ouvido pode remover as limpezas naturais. Procure higienizar a região uma vez a cada 15 dias ou apenas quando notar que há sujeira no local.


Importante! Não é recomendável o uso de cotonetes, pois ele pode empurrar a cera ainda mais e até lesionar a orelha do animal.


Outra maneira de prevenção é evitar a entrada de água no canal auditivo do cão durante os banhos ou qualquer atividade na água (você pode utilizar algodão hidrofóbico para proteger os ouvidos) e também secar muito bem as orelhas dele.


De um modo geral, a otite é uma doença relativamente comum em cães, e não é considerada muito grave. Porém você deve sempre estar atento, prevenir e tratar logo que os primeiros sintomas aparecerem. E, em caso de dúvidas consulte um veterinário!


__________________________________________________________________________________


Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.