Mordidas excessivas



Eu sempre gostei de morder mãos humanas! Aqueles dedos se mexendo e me provocando... é muito divertido e gostoso!


Essa é uma mania bem comum entre filhotes e, no começo, as pessoas dão risada e permitem a brincadeira. Mas, com seus dentinhos afiados, uma hora começam a machucar e o hábito se torna incômodo. E é assim que os tutores passam a se questionar como fazer o filhote parar de morder.


O profe explicou aos meus tutores que, se esse comportamento não for corrigido, os cães adultos podem ter esse hábito, e que para evitar que isso se prolongue ao longo dos anos, é importante cortar desde o início.


Assim como os humanos, os cães nascem sem dentes. Nas primeiras semanas de vida, os dentes de leite começam a crescer, por volta de 2 a 3 semanas de vida. E, por volta dos 3 meses, inicia-se a troca dos dentes de leite pelos permanentes. Essa fase se estende até por volta dos 7 meses de vida e poderá ocorrer vermelhidão, inchaço e irritação na gengiva, já que os dentes estarão rasgando a pele.


Esse é um momento muito incômodo e é justamente por isso que nesse período acontecem os problemas com a destruição de objetos e as mordidas excessivas; pois morder é uma forma de aliviar o desconforto na gengiva.


Apesar do nascimento dos dentes ser a causa principal, existem outros motivos que levam os filhote a morder tudo, e um deles é o tédio. Cães que gastam energia não têm com o que brincar ao longo do dia e vivem entediado, por isso destroçar algo com a boca é uma forma de se distraírem.


A ansiedade também está entre as razões para o esse hábito nascer. Um animal que passa muito tempo sozinho em casa pode desenvolver transtornos de ansiedade e morder é uma forma de canalizar isso. Além disso, de quebra chama a atenção do tutor. Morder a mão é um jeito eficaz de atrair o tutor e forçá-lo a brincar.


Mas o gatilho mais comum é a atenção recebida indevidamente dos tutores. Para muitos filhotes, morder é uma forma de chamar atenção. Por isso vão atrás das mãos e dos pés para provocar o tutor e induzir a brincadeira.


Nesse caso, o ideal é ignorá-lo por alguns minutos até que pare de tentar morder a mão. Com o tempo e a repetição, ele irá se esquecer dessa brincadeira dolorida. Ignorar é sempre a melhor forma de punição, pois o filhote entenderá que a mordida não tem efeito. Gritar, dar bronca e olhar feio nunca funciona. Na verdade, na maioria das vezes gera o efeito contrário, pois a pessoa está reagindo à ação do filhotinho.


Cães não entendem se o tutor explicar verbalizando, eles entendem com a repetição, por isso o sucesso de ensinar o cão a morder apenas o brinquedo e não morder as pessoas vai depender da persistência da família, da rotina que foi criada pra ele, da socialização dele com outros cães e pessoas, em resumo, vai depender dos tutores.


Então, quando as mordidas começarem, todos os integrantes da família devem desviar o olhar, não falar com ele e se puder nem reagir. Se o cão insistir, todos devem ignorá-lo só dar atenção depois, quando ele estiver mais tranquilo. É fundamental repetir esse processo toda vez que ele começar a morder!


O profe deixou bem claro que é importante que a família tenha bastante paciência e persistência para ensinar o filhote, pois ele vai aprender com a repetição e no tempo dele. Não se deve comparar um cão com outro e sim focar em ter a atitude correta sempre e persistir.


Encerrando a série sobre os problemas comportamentais mais comuns em filhotes, o último episódio será sobre a destruição de objetos. Seus sofás que o digam né tutores?

Se o seu doguinho também apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.


Quer saber mais sobre adestramento e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.