top of page

Fonofobia e fogos de artifícios



O Reveillon está logo aí e, infelizmente, esse período pode ser muito traumático para os cães, por conta das viagens longas, festas e, consequentemente, dos fogos de artifício. Embora muitas pessoas afirmem que alguns cães têm medo por causa da audição apurada, isso não é motivo para que eles fiquem irreconhecíveis ao escutar barulhos mais fortes, como por exemplo, se esconder ou tremer o corpo.


O que é fonofobia?


A fobia pode ser definida como um medo excessivo e persistente diante de um determinado estímulo. É uma resposta imediata, aguda, profunda, anormal, traduzida como um comportamento de medo extremo, comparada ao pânico.


Já a fonofobia é o medo de sons altos e pode provocar palpitações, taquicardia, salivação, tremores, sensação de insuficiência respiratória, latidos excessivos, falta de ar, náuseas, atordoamento, sensação de irrealidade e perda de controle. Muitas vezes, por sentirem medo extremo, alguns cachorros acabam até fugindo, se machucando e até mesmo morrendo.



Como lidar com o medo do seu cachorro?


Por incrível que pareça, a fonofobia é relativamente normal; o problema é que alguns tutores possuem a mania de interagir, acariciar e até mesmo dar colo ao cão quando ele se assusta de forma repentina. Ao invés de ajudar, isso acaba estimulando o medo do cão, que associa o medo ao carinho, e toda vez fará isso. Muitos tutores demonstram preocupação antes mesmo dos fogos, e a linguagem corporal deixa o cão mais ansioso e com medo.


O correto é deixá-lo à vontade dentro de casa e minimizar os efeitos sonoros; nesse momento, o ideal é camuflar o som externo, pode ser ao ligar a TV ou o rádio e fechar portas e janelas. Você também pode preparar um local mais confortável para que o cachorro se sinta seguro, com uma cama aconchegante (ou uma caixa ou cabana para que ele possa se esconder), acesso à água e brinquedos que ele goste.


Importante! Jamais, em hipótese alguma, force o seu cão a fazer algo que ele não queira ou o castigue por qualquer comportamento relacionado à fobia. Além disso, não o deixe amarrado em guia ou corrente, retire objetos pontudos ou de vidro do alcance dele e não ofereça remédios ou calmantes sem a indicação do veterinário.


Para evitar toda essa situação, a melhor alternativa é preparar o cão antes da situação de estresse!


O que fazer?


O ideal é fazer o treinamento de dessensibilização do barulho. Esse processo tem como objetivo acostumar o cão com sons altos, de forma gradativa e sempre com a associação positiva.


Exponha o cachorro gradualmente a sons mais altos em situações positivas, como durante brincadeiras ou momentos de carinho. Pode ser usado algum vídeo com o som de fogos de artifício, por exemplo; no início é fundamental que o volume esteja baixo o suficiente para que o cão não demonstre medo. Ao longo dos dias e à medida que ele se sentir confortável, aumente o som, dia após dia de treinamento, até que ele esteja brincando sem ligar para o barulho alto.


O objetivo é fazer com que ele não associe o barulho a situações estranhas ou que causem medo e dor e sim

a situações agradáveis e reconfortantes; pelo contrário, com o tempo, ele irá se acostumar e associar o barulho com algo positivo.


Lembrando que esse treino não mostra resultados de um dia para outro, por isso ele precisa ser feito com antecedência. Dependendo do nível da fobia do cachorro, pode levar alguns meses para os resultados aparecerem, então seja dedicado, persistente e paciente com seu cão.


Outras opções que também podem ajudar é ir passear em locais movimentados com freqüência e acostumar o cão

a sons de eletrodomésticos como secador de cabelo, aspirador de pó e liquidificador.



Importante! Algodão nos ouvidos, faixa no corpo ("pano do medo"), florais, recompensas no momento inadequado... Nada disso é de fato o tratamento ideal que precisa ser feito.

Como o dia 31 de dezembro, geralmente é muito corrido para todos, muitas vezes nem pensamos nos nossos doguinhos e acabamos não dando muita atenção a eles. Por isso, invista na prevenção! Assim todos podem aproveitar o dia e começar o ano novo em harmonia e tranqüilidade, afinal, festa boa é festa que o seu cãozinho curte também!


__________________________________________________________________________________


Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.

Commentaires


bottom of page