Comedouro e bebedouro: como escolher



Quem não gosta de comer bem e beber bastante água? Os doguinhos então... mas para isso é importante que o comedouro e o bebedouro sejam adequados ao porte e idade do cão.


Apesar de ser algo aparentemente simples, alguns tutores podem ficar na dúvida quanto a certos fatores, como tamanho, material, altura, entre outros.


Tamanho: Comprar um comedouro grande demais não é uma boa ideia, pois a tendência é o tutor encher esse comedouro e acabar dando mais comida que o necessário, causando até a obesidade no cão.


Já o bebedouro pode ser de 2 a 4 vezes o tamanho do comedouro, porém é bom trocar sempre a água do seu cão mesmo que ainda não tenha acabado.


Altura: Colocar os potes na altura certa pode ser uma boa forma de melhorar a postura do cão e facilitar a digestão. Além disso, pode ser um alívio para cães com problemas nas articulações, já que não precisam se abaixar tanto para pegar a comida.



Cães com problemas de refluxo, que vomitam após as refeições ou que engasgam, podem melhorar muito se comerem a comida e tomarem a água em potes suspensos.


Os potes automáticos tanto de comida quanto de água podem ser muito úteis, porém, eles têm algumas desvantagens. Primeiramente, deixar a comida à disposição do seu cão não é bom pra ele, pois ele come à vontade e pode ficar obeso. Além disso, você perde o controle do quanto ele está comendo e não sabe se ele aumentou ou diminuiu a quantidade de comida.


Para cães que comem muito rápido, existem comedouros interativos. Eles têm diferentes formatos e pequenos “labirintos” que servem para desacelerar o cãozinho enquanto se alimenta. Outra boa funcionalidade são comedouros com a base emborrachada, deixando-os firme junto ao chão, ideais para cães que tendem a empurrar o pote enquanto se alimentam.


Os materiais mais comuns são de aço inoxidável, alumínio, cerâmica e plástico:


Aço Inoxidável: É a melhor opção. Ideais para cães que adoram morder tudo. São duráveis e bastante resistentes, podem ser lavados com esponja ou na lava-louças.


Alumínio: Uma opção barata e resistente, porém o alumínio vai criando ranhuras (vincos no material) e soltando partículas de alumínio na comida e na água do seu cão, o que não é bom pra ele.


Cerâmica: São fáceis de limpar e podem ser encontrados em vários modelos e designs diferentes. São ótimos e pesados, ideais para filhotes ou cães que tendem a empurrar o comedouro pela casa.


Plástico: É o material mais usado e mais barato do mercado. Precisam ser repostos com certa frequência, pois criam ranhuras e soltam partículas de plástico na comida e na água.


Importante! É fundamental manter os potes sempre limpos e bem lavados, principalmente os de água, que deve ser trocada uma vez ao dia, e nos dias mais quentes, mais de uma vez. A limpeza do pote é essencial para evitar mofo e que mosquitos coloquem seus ovos na água.


Depois de comer e beber dá uma vontade de tirar uma soneca né? Então no próximo post vamos saber quais são os principais modelos de cama para doguinhos.

__________________________________________________________________________________


Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.


Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.