Alimentação para cães



A ração possui todos os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento dos cães. No caso de filhotes, existem rações específicas para essa fase da vida do animal. Sempre prefira esse tipo de alimentação até o cãozinho completar 18 meses.


Um cuidado que devemos ter logo no início é não trocar de uma só vez, quando ele chega à nossa casa, a ração que o filhote já vinha comendo. Mantenha a alimentação anterior por alguns dias, até ele se adaptar bem à sua casa. Depois, siga as orientações da própria embalagem da ração que você escolheu sobre a melhor forma de realizar a transição entre um alimento e outro.


O ideal é misturar as duas no começo e ir diminuindo a quantidade da ração antiga gradativamente. Dessa forma, pode-se observar se o cão terá alguma alergia ou restrição ao tipo de ração que você escolheu.


É muito importante controlar a quantidade de ração que o filhote pode comer por dia. Avalie seu perfil; se o cãozinho for muito agitado ou muito parado, você pode dar um pouco a mais ou um pouco a menos; sempre de acordo com as orientações do fabricante, encontradas na embalagem.


Filhotes são muito gulosos e ansiosos, por isso, evite deixar a ração disponível. Divida as porções e ofereça mais vezes ao dia, de acordo com a orientação do veterinário e da idade do cãozinho: até quatro meses, quatro porções ao dia; de quatro a seis meses, três porções ao dia; e, a partir de seis meses, duas porções por dia.

Apesar de existirem muitas marcas de rações no mercado, muitas famílias ainda preferem a alimentação natural/caseira como uma dieta mais balanceada composta por ingredientes naturais. O único tipo de processamento que esses alimentos sofrem ocorre dentro da cozinha do tutor: o cozimento e o congelamento.

A composição nutricional da comida natural deve ser feita sob a orientação de um médico veterinário nutricionista e de acordo com o estilo de vida do animal, idade, porte e nível de atividade. Assim, a dieta poderá ser modulada de acordo com a necessidade individual do cão, levando em conta também predisposições genéticas ou doenças crônicas que ele pode ter.


Os benefícios da dieta natural incluem: alta palatabilidade (com sabor e textura muito atrativos), fezes firmes e com menos odor, menos gases, mais vitalidade, pelagem brilhante, maior resistência às doenças, melhor hidratação do organismo e menor necessidade de ingestão de água.

Alguns pontos, no entanto, podem dificultar a adesão de alguns tutores à alimentação natural para cães. É necessário muito espaço no freezer para que os alimentos sejam congelados para o consumo. Também é necessário que seja feita a correta suplementação de vitaminas e minerais que podem não estar presentes nos ingredientes.


Uma das maiores confusões que acontecem entre os tutores é achar que a comida natural é resto de comida da família. Não vale abrir a geladeira, ver o que está sobrando lá dentro e oferecer para o cão. Também não é só misturar alimentos com a ração, sem a orientação de um veterinário especializado em nutrição.

O ideal é seguir à risca a dieta, pois a falta de comprometimento com a alimentação caseira pode prejudicar muito o cão. Além da ração e da alimentação natural, podemos sempre usar alguns petiscos como forma de agradar ou recompensar o filhote por um comportamento positivo.


Outra opção é oferecer alimentos crocantes para matar a vontade. Em pet shops são vendidos petiscos com essa função, mas há também alternativas mais saudáveis. Cenoura, maçã, pepino japonês, coco verde, abobrinha, pêra e palitos gourmet são ótimos alimentos para que ele se mantenha saudável e entretido.


O importante é não usar esses agrados em excesso para não atrapalhar o balanceamento de sua alimentação. Na dúvida, consulte um veterinário para saber a quantidade e o tipo de petisco recomendado.


Cuidar da alimentação dos cães, além de um gesto de carinho e amor, faz uma grande diferença na saúde e qualidade de vida deles. A alimentação deve ser equilibrada e adequada às necessidades nutricionais específicas em cada fase do animal, seja ele filhote, adulto ou idoso.


Uma dica legal para ajudar na alimentação para cães de todas as idades! Para tornar a refeição mais apetitosa e atrativa, a comida (principalmente a ração) pode ser umedecida com um pouco de água morna ou quente. Isso faz com que o alimento fique mais cheiroso e, no caso de cães idosos ou com problema dentário, mais macio para ser mastigado. Muita atenção com a temperatura da água para não queimar a boca do seu doguinho!


No nosso próximo post vamos falar sobre as principais vacinas e como proteger o seu cão sem deixá-lo traumatizado.


__________________________________________________________________________________


Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.