Parvovirose canina (Parvovírus canino)



Muito provavelmente você já ouviu falar da parvovirose, uma doença conhecida e altamente contagiosa entre os cães, mas você sabe realmente o que é parvovirose?


Embora menos falada que outras doenças, como raiva e cinomose , a parvovirose (também conhecida como Parvovírus canino) é causada pelo parvovírus, e é um problema de saúde grave que afeta o sistema gastrointestinal, provocando diarreia e vômitos intensos.


A maior parte dos cães adultos e saudáveis consegue combater o agente patológico logo no início sem problemas; mas cães idosos e cães adultos não vacinados (ou com o sistema imunológico fragilizado) têm dificuldade para combater o parvovírus, que começa a se reproduzir rapidamente.


Na verdade a maioria dos casos da doença são observados em cães com menos de 6 meses de idade, e os casos mais graves geralmente ocorrem em cães com menos de 12 semanas, pelo fato de terem a imunidade baixa ou ainda por não terem recebido todas as vacinas.


Transmissão


A transmissão pode ocorrer por via respiratória, secreção oculonasal ou contato direto com outros cães infectados; através do contato com suas secreções, como fezes e vômitos.


O parvovírus é um vírus bastante resistente e pode sobreviver por meses a fio no ambiente, contaminando objetos como comedouro, bebedouro, coleira, cama e até mesmo os brinquedos. Por isso é fundamental a higienização desses equipamentos e acessórios, além do local onde o cão vive!


Sintomas


O vírus entra na corrente circulatória, espalhando-se por órgãos e tecidos do corpo e se reproduz rapidamente no organismo, afetando principalmente as células do intestino e causando vômito e diarréia.


O período de incubação, ou seja, o tempo de exposição ao vírus até o momento em que os sinais da doença começam a aparecer entre uma e duas semanas depois e os principais sintomas são: diarréia, sangue nas fezes, vômito excessivo, apatia, anorexia, falta de apetite, perda de peso e, por conta do ataque às células intestinais, a doença pode provocar também uma rápida desidratação que pode, inclusive, levar o cão a óbito.


A Parvovirose geralmente se manifesta de duas formas; a primeira delas e mais comum, é a forma conhecida como enterite, um problema gastrointestinal grave causado por um vírus extremamente contagioso e que pode ser fatal quando não recebe o tratamento adequado. A outra forma da doença remete o coração ao provocar uma miocardite aguda podendo causar morte súbita em filhotes.


Diagnóstico


O diagnóstico presuntivo na rotina clínica geralmente é feito pelo histórico, sinais clínicos e hemograma do cão; já o diagnóstico definitivo exige a identificação do vírus por testes de sangue e exames de fezes. Como se trata de um vírus, não há tratamentos específicos, mas é feito um tratamento de suporte, com a finalidade de reverter a desidratação, a infecção e a inflamação, além de amenizar os sintomas.


Prevenção


Apesar de não elimina os riscos totalmente, a maneira mais segura e eficaz de prevenção é a vacinação!


Também chamada pelas nomenclaturas V10 e V8, a vacina polivalente protege o cão contra algumas das principais doenças de origem viral e bacteriana, inclusive a parvovirose; mas infelizmente não elimina os riscos totalmente, ou seja, cães vacinados também podem contrair a doença.


Antes de terminar o protocolo vacinal, devemos evitar sair de casa com o cãozinho, evitar o contato dele com outros animais e realizar a limpeza e desinfecção adequada do ambiente e das superfícies com os quais ele terá contato. A vacinação deve ser iniciada quanto antes, com o cachorro ainda filhote.


Lembrando que esta vacina polivalente tem reforço anual por toda a vida do cão!


Importante!


A parvovirose possui uma alta taxa de letalidade, porém tem cura! Por isso é preciso estar atento aos menores sinais do seu cãozinho e as mudanças na sua rotina. Assim como a maioria das doenças, quanto antes for diagnosticada maior é chance de sucesso do tratamento. Caso o cão seja diagnosticado com a doença, a primeira coisa a se fazer é isolá-lo de outros animais para evitar o contágio.


Por ser altamente contagiosa, muitos tutores têm dúvida se a parvovirose canina pega em humanos.E não; ela não é transmissível para seres humanos. Porém, mesmo sem saber, os humanos podem acabar transmitindo essa doença para o cão, já que é possível levar o vírus para casa na sola do sapato e até mesmo no pneu do carro. Portanto, é preciso ficar atento e manter bons hábitos de higiene para não acabar levando a doença para dentro de casa!


__________________________________________________________________________________ Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.