Enriquecimento Ambiental


Enriquecimento ambiental é a criação de um ambiente dinâmico, complexo e interativo que proporcione aos cães desafios físicos e mentais similares aos da natureza, melhorando assim a sua qualidade de vida.


O conceito de enriquecimento ambiental começou a ser difundido e aplicado entre biólogos e veterinários de zoológicos em todo o mundo na década de 70.


Atualmente, existem centenas de trabalhos científicos sobre esse assunto, principalmente em animais silvestres, seguido dos animais de produção (avicultura, suinocultura, bovinocultura, etc) e mais recentemente nos animais de companhia, como os cães.


Os principais tipos de enriquecimento ambiental são: sensorial, social, cognitivo, alimentar e físico.


Sensorial: Enriquecimentos sensoriais podem abranger qualquer um dos cinco sentidos. Por exemplo, um ambiente com várias texturas (grama, tapete, sofá, etc.) ficam mais interessantes; cães que procuram algum local com sol estão atrás da sensação de calor, já quando eles preferem deitar no piso frio, o objetivo é se refrescar. Ainda tem alguns que gostam de tirar a água do bebedouro, buscando a sensação de estarem molhados. Outro exemplo é disponibilizar um espaço para que o cão tenha estímulo visual, com portão, janela ou quintal.


Social: Interação com outros animais, inclusive de outras espécies, como aconteceria na natureza e com pessoas diferentes. Essa interação pode ser feita em passeios, parques, creches para cães, visitas a casas de pessoas que tenham cães e/ou gatos. Nesses casos é importante que a interação seja sempre a mais harmoniosa e positiva possível para todos os animais envolvidos.


Cognitivo: É a estimulação mental (concentração, coordenação motora, memória e raciocínio) por meio de desafios, quebra-cabeças que escondem alimentos e treinamento.


Físico: São formas de criar oportunidades para que os cães gastem energia física, como por exemplo, com passeios e brinquedos (desde bola, para buscar e trazer, brinquedos de puxar e até mesmo brinquedos para morder).


Alimentar: É a oportunidade de procura e caça de alimentos de diferentes maneiras, evitando a previsibilidade na hora da alimentação.



Brinquedos


Além de ser um divertimento para os cães, os brinquedos ajudam a evitar que eles destruam os móveis da casa e fiquem estressados e entediados, podendo resultar em latidos excessivos e até mesmo problemas emocionais.


Assim como as crianças, os cães costumam enjoar dos brinquedos, portanto é aconselhável trazer sempre alguma novidade e guardar parte dos brinquedos mais antigos, fazendo um rodízio entre eles. Pode ser também que o cão se apaixone por um brinquedo e passe a idolatrá-lo. Isso é ótimo, já que então podemos usar esse brinquedo como recompensa durante o adestramento.


Manter todos os brinquedos em um mesmo local, de preferência dentro de uma caixa onde o cão tenha fácil acesso, ajuda a condicioná-lo a buscar as coisas com as quais ele possa brincar sempre no mesmo lugar, e não ficar pegando o que encontra pelo caminho e que possa não ser adequado.


Seja qual for o peso, porte ou idade de cão, com certeza há um brinquedo ideal para ele. Por isso algumas características sempre devem ser observadas ao escolher um brinquedo, como por exemplo, a intensidade da mordida do cão, seu tamanho, sua faixa etária indicada e sua resistência/durabilidade.


Intensidade da mordida: Como os cães têm uma grande necessidade de morder objetos, é essencial que o material do brinquedo seja adequado à intensidade da mordida. Em caso de dúvida, é possível verificar algumas especificações na embalagem, como a indicação do tipo de mordida, que geralmente é classificada como mordidas leves, moderadas, fortes e extra fortes.


Tamanho: Outra informação que é possível verificar na embalagem é o tamanho do brinquedo. Normalmente, há a indicação de peso do cão para quem o brinquedo é recomendado. Na dúvida, opte sempre por brinquedos maiores. Mas cuidado, pois um brinquedo grande ou pesado demais pode causar ferimentos graves em cães pequenos, desde dentes quebrados até traumas, por causa de pancadas.


Faixa etária indicada: É uma das características mais importantes, isso porque cada brinquedo é feito com um material especial apropriado para a fase da vida do cão. No mercado, podemos encontrar brinquedos para as fases: filhote, adulto e idoso.


Resistência / durabilidade: Os tipos de brinquedo são diversos e podem variar dos mais macios aos mais resistentes. No entanto, a maior parte dos brinquedos é adequada aos mastigadores mais leves a moderados. Por isso, se o cão tem uma mordida mais pesada, talvez seja necessário comprar brinquedos que são feitos para resistir a rasgos e perfurações, como os de nylon.


Dentre os modelos mais comuns de estão os brinquedos de morder, de pegar, de puxar e os interativos.


Brinquedos de morder: Os materiais mais usados são borracha, silicone e nylon. São ideais para cães que possuem uma vontade quase insaciável de ter coisas para morder, mastigar e carregar com a boca. Como possui uma grande variedade de formatos, esse tipo de brinquedo estimula a curiosidade e, alguns deles (como os de nylon), ajudam na limpeza dos dentes e a manter as gengivas mais saudáveis.

Brinquedos de pegar: Por conta da dinâmica de uso, esse tipo de brinquedo ajuda a criar um vínculo maior entre o tutor e o cão, além de auxiliar no adestramento e na obediência. Nesse caso, é um tipo mais avançado de adestramento, uma vez que é necessário que o cão vá buscar o brinquedo e depois seja capaz de trazê-lo até o tutor.


Os modelos mais comuns são os brinquedos de borracha, as bolinhas, os freesbees e as pelúcias, mas é possível brincar dessa maneira com quase todo tipo de brinquedo.

Brinquedos de puxar: Os brinquedo de puxar são, normalmente, brinquedos de corda. Esse tipo de brinquedo deve ser usado com cuidado, pois pode machucar a arcada dentária do cão; portanto o uso deve ser moderado.


São ótimas opções para o gasto de energia e para ajudar a estabelecer limites ao cão (é importante deixá-lo ganhar algumas vezes, mas não sempre, para não instigar uma possível agressividade ou dominância.

Brinquedos interativos: São a melhor opção para manter os cães ativos e relaxados, independentemente da sua idade. Esse tipo de brinquedo melhora o bem-estar físico e mental, estimulando a prática de atividades físicas, o raciocínio e a obediência. É uma forma de controlar a ansiedade, aliviar o estresse e manter os cães entretidos.


Utilizar o estímulo positivo dos alimentos como recompensa é comum em grande parte dos brinquedos interativos. Mesmo nos mais complexos e sofisticados brinquedos inteligentes, os petiscos têm a função fundamental de premiar e estimular o comportamento correto. Mas no início é importante que sempre tenha uma pessoa presente enquanto o cão brinca, pois ele pode ficar estressado caso fique frustrado com o fracasso.


Os principais modelos podem ser de borracha, plástico ou madeira e alguns possuem peças e dispositivos que devem ser movidos e encaixados para o cão ter acesso ao petisco. Esse tipo de brinquedo distrai por horas e cansa até os cães mais agitados!

CUIDADOS:


• Tenha certeza de que o brinquedo é seguro e fabricado especialmente para cães.


• Seja qual for o brinquedo, se ele soltar pedaços, se formar farpas ou cerdas e estas forem arrancadas ou caírem com facilidade, o brinquedo deve ser retirado imediatamente.


• Se o cão demonstrar desconforto ao brincar, verifique se os dentes e gengivas estão saudáveis, se não há sinais de inflamação, vermelhidão, dentes moles (principalmente no caso de cães idosos e filhotes), ou excesso de placa bacteriana. Fique de olho também se o cão está vomitando muito e se as fezes não estão com sangue.


• Qualquer brinquedo que for reduzido a um tamanho suficiente para caber inteiro dentro da boca, deve ser jogado fora. Existe o sério perigo de ser engolido podendo sufocar ou até ter parte do aparelho digestivo bloqueado.


• É importante observar como o cão interage com o brinquedo até ter certeza de que é seguro para ele.


• Nunca dê brinquedos parecidos com seus objetos, como por exemplo um chinelo, para que o cão não fique confuso e associe que todo chinelo é um brinquedo.


• E lembre-se: nenhum brinquedo é indestrutível. Assim que o brinquedo rasgar, perder um pedaço ou tiver seu tamanho reduzido o suficiente para caber inteiro dentro da boca, jogue-o fora imediatamente.


No nosso próximo post vamos conhecer outras maneiras de enriquecimento ambiental, como os brinquedos caseiros e também como tornar o momento da alimentação mais estimulante e divertida. Não deixe de ler o nosso próximo post!


__________________________________________________________________________________


Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.