Coprofagia canina



Coprofagia significa o ato de comer fezes e pode ser dividida em autocoprofagia (ato de comer as próprias fezes) e alocoprofagia (ato de comer as fezes de outros animais).


Não é necessariamente prejudicial para o cão e não terá nenhum prejuízo em relação à sua saúde, a não ser que ele coma fezes de outros animais e estes estejam contaminados com vermes, fungos ou parasitas. Se isso acontecer, ele pode pegar doenças como giardíase, verminoses, entre outros.


A coprofagia pode ser considerada normal apenas em mães em fase de amamentação, que ingerem as fezes e urina dos seus filhotes com o objetivo de limpar o ninho e de evitar a propagação de odores para não atraírem os predadores.


Causas da coprofagia


Esse comportamento pode ter origem tanto em fatores fisiológicos quanto comportamentais. Por isso, identificar a causa da coprofagia é o primeiro passo para começar a tratá-la.


Sem tratar a causa base, esse comportamento não será realmente eliminado!


Isso não só porque o procedimento adequado está diretamente ligado a ela, mas também porque o hábito pode ser um sintoma de doenças mais graves, de modo que o tratamento é essencial para garantir a saúde do cão.


Causas fisiológicas


Do lado fisiológico, os motivos mais comuns são associados à nutrição. Os cães com dietas inadequadas podem recorrer à coprofagia como forma de buscar mais nutrientes. Em outros casos, pode ser sinal de um problema de má-absorção, como insuficiência hepática ou doenças intestinais. Por isso é muito importante que o cão se

alimente corretamente para poder levar uma vida cheia de energia, saudável e feliz.


Causas comportamentais


Já do ponto de vista comportamental, as causas são igualmente variadas. Pode ser por stress, como a ansiedade pela separação, ou solidão e tédio; mas uma das mais comuns é fazer isso para chamar a atenção do tutor. A atenção dada imediatamente após a ingestão das fezes, mesmo que negativa, pode estimular esse comportamento.



Como tratar a coprofagia


Como não é fácil e simples identificar a causa base, orientamos que você consulte o veterinário de sua confiança e descarte todos os possíveis problemas no organismo do animal que o leve a comer fezes.


Existem alguns remédios que podem ajudar a eliminar esse comportamento, como os medicamentos anticoprofágicos. Geralmente são comprimidos ou soluções em pó que podem ser misturados com a comida e alteram o cheiro e o sabor das fezes, fazendo com o que o cão tenha uma experiência negativa.


Importante! O tratamento feito com anticoprofágico seja indicado apenas por um veterinário.


Agora, em muitos casos é possível tratar a coprofagia com algumas mudanças na postura da família. Por exemplo, quando o tutor utiliza técnicas de reforço negativo, como esfregar o focinho do cão nas fezes e dar broncas verbais, faz com que o cão associe a punição ao ato de defecar e não ao de comer as fezes. E o resultado será o contrário: ao invés de parar de comer, ele vai ingerir as fezes exatamente para esconder e não levar bronca. Além disso, ainda corre o risco de o cão defecar sempre escondido ou em lugares inusitados, com medo de receber bronca.


O ideal é não dar bronca se o cão fizer as necessidades no lugar errado ou se ele comer as próprias fezes. Se isso acontecer, ignore-o (não falar, olhar ou tocar) completamente por alguns segundos, até ele dispersar. Quando acertar o local correto, recompense com petiscos, carinho e atenção.


Dica! É importante não recolher as fezes na frente dele, pois isso pode levá-lo a querer limpar as próprias fezes antes que o tutor consiga retirá-la.


Outra opção para tratar a coprofagia é a aversão alimentar, que é a associação negativa ao ingerir as fezes. Pode ser usada alguma substância desagradável (seja pelo odor ou pelo sabor) para cobrir as fezes, como vinagre e molho de pimenta (industrializado e de baixa intensidade). Assim como os medicamentos anticoprofágicos citados anteriormente, o objetivo é fazer o cão ter uma experiência negativa para que não repita esse comportamento.


Também pode ser usada uma dieta composta com vegetais como repolho, brócolis, nabos, couves de Bruxelas, couve flor, ou qualquer outro alimento que seja rico em teor de enxofre, pois é muito incômodo para os cães.


Importante! Nunca esqueça de que uma alimentação balanceada ajuda na absorção intestinal dos nutrientes. Em compensação, quanto maior o nível de carboidrato e proteína na dieta, mais palatável e "atrativa" serão as fezes do seu cão.



Conclusão


Todas essas opções podem ser aplicadas em conjunto e, principalmente, não apenas por uma semana, mas pelo tempo que for necessário até que esse comportamento seja eliminado.


Não há solução milagrosa, mas a coprofagia pode ser prevenida e corrigida se o tutor conseguir ter hábitos saudáveis como gasto adequado de energia, manter a vermifugação em dia e manter o local onde o cão vive sempre higienizado.


Mesmo que não seja fácil, seja persistente e não desista do seu doguinho; pode parecer um absurdo mas, infelizmente, existem muitos casos de abandono de cães devido a este problema... Por isso, a dedicação do tutor é a grande chave para a saúde do seu cão!


__________________________________________________________________________________


Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.