O Verão chegou! Cuidado com a exaustão por calor



Hoje, dia 21 de dezembro, começa oficialmente a estação mais quente do ano, o verão! E é justamente nesse período em que os cães acabam sofrendo mais com a exaustão por calor, também conhecido como superaquecimento canino.


Os cães são especialmente suscetíveis porque, ao contrário dos humanos, não possuem glândulas sudoríparas distribuídas por todo o corpo, contando com um mecanismo muito mais lento para dissipar o calor. A temperatura corporal é regulada principalmente pela respiração rápida e com a boca aberta, chamada de arfar.



A exaustão por calor em cães pode ocorrer quando a temperatura corporal se eleva acima da temperatura normal. Isso varia um pouco, mas é geralmente aceito que as temperaturas de 39,5° C e superiores são acima do normal. Se a temperatura continuar a subir e atingir 41° C ou mais, seu cãozinho estará na zona de perigo para insolação, e isso pode levar a condições graves, e potencialmente fatais, como insolação e parada cardíaca.


Um cão com insolação pode entrar em colapso ou apresentar convulsões, vômito, diarréia e também suas gengivas ou língua podem ficar azuis ou vermelho brilhante; outros sinais de possível insolação incluem olhos vidrados, salivação excessiva, ritmo cardíaco acelerado, tontura ou falta de coordenação, febre, letargia e, até mesmo, perda de consciência.


Fatores de Risco


Embora todos os cães corram o risco de exaustão por calor se as condições forem propícias, algumas raças são mais propensas a isso do que outras. Isto inclui cães com pelos espessos ou longos, filhotes ou idosos e raças braquicefálicas - aquelas com focinho curto e face plana, como Shihtzus, Pugs, Boxers e Buldogues. Cães com sobrepeso e aqueles que sofrem de condições médicas que causam dificuldade para respirar ou problemas cardíacos também são mais suscetíveis ao superaquecimento.


Fatores ambientais também podem colocar um cão em risco. Não preste atenção apenas nas altas temperaturas, mas também na alta umidade, o que pode aumentar a chance de exaustão por calor. Todos os cães correm um risco maior de superaquecimento se não tiverem sombra adequada ou outro local mais fresco para relaxar em ambientes fechados.



Primeiros cuidados


Ao primeiro sinal de superaquecimento, imediatamente tome algumas medidas para resfriar o seu cão:


- Leve-o imediatamente para uma área mais fresca, seja dentro de casa, onde tiver um ar condicionado ou mesmo na sombra sob um ventilador;


- Use toalhas frias e úmidas para ajudá-lo. Coloque-as no pescoço dele, nas axilas e entre as patas traseiras e você também pode molhar delicadamente as orelhas e os coxins das patas com água fria;


- Se ele estiver consciente e disposto a beber, dê-lhe água fresca. Não force, no entanto, pois a água pode acabar indo para os pulmões. Se ele não conseguir ou não quiser beber, molhe a língua.


Importante! Não ofereça água gelada ou cubos de gelo, pois isso pode fazer com que a temperatura corporal caía muito rápido, causando choque térmico.


Agora, em casos mais graves, leve-o imediatamente ao veterinário. Saber exatamente o que fazer quando seu cão fica superaquecido é uma ação imediata e pode salvar a vida dele!


Como evitar


A prevenção sempre será a melhor opção! Você pode evitar que o seu cão fique superaquecido com algumas práticas básicas de segurança. Estas incluem limitar o exercício ou atividade ao ar livre em dias excessivamente quentes ou úmidos, proporcionar um local com sombra e arejado para descansar (longe da luz direta do Sol) e nunca, em hipótese nenhuma, deixar seu cãozinho dentro de um carro estacionado - nem mesmo na sombra, com as janelas abertas ou por um curto período de tempo.


Se o seu cão tiver muita energia para gastar e precisar de mais exercícios e atividades para ficar tranqüilo e relaxado, leve-o para nadar ou passeie em locais arborizados e/ou fechados. Aproveite as horas em que o calor diminui um pouco: bem cedo e no final da tarde/noite. E, antes de sair, coloque sua mão por alguns segundos no chão, para ver se não está muito quente.


Caso o cão tenha pelos compridos ou uma pelagem mais espessa, a tosa pode ser uma boa opção, porém é fundamental ter cuidado com o comprimento; pois quanto mais curto o pelo, mais exposta a pele ficará.



Com todos esses cuidados e sabendo identificar corretamente os sinais de exaustão, seu cão vai aproveitar bastante os dias mais longos que o verão nos proporciona, com segurança e muita diversão!


__________________________________________________________________________________

Se o seu cão apresenta problemas comportamentais e você precisa de ajuda profissional, entre em contato com a gente. Atendemos presencialmente em Santo André e São Bernardo do Campo (SP) e online para qualquer lugar do mundo. Confira a nossa página de Serviços para mais informações.Quer saber mais sobre adestramento de cães e comportamento canino? Confira a seção Cursos do nosso site e faça a sua matrícula. Os cursos são online, com certificado, com suporte online integral realizado por um especialista em comportamento canino, e são teóricos (texto, imagens e infográficos), de forma que você pode ler e consultar conforme a sua disponibilidade.